Osfrid of Torm

O buscador de Chalsembyr!

Description:

Osfrid tem os cabelos aloirados e olhos verdes, tem a aparência física de um Cormyriano, o que se mostra possível, dado o histórico de comerciantes de sua família que já vive á muitas gerações navegando nos mares de Faerûn.

Osfrid é tolerante e às vezes até muito liberal em relação a postura moral e ética daqueles que cruzam seu caminhos, mas isso se dá porque Osfrid está sempre alerta para aqueles cujo mal deixou uma mácula em seus corações.

Bio:

1479-DR (Computo dos Vales CV)

Osfrid é filho de uma pequena família de nobres da Baixa Nobreza pertencente aos clãs de mercadores que vieram para Tantras por volta do século 649 e construíram aqui sua riqueza.

Seu tataravô Kilthren III lutou ao lado dos Espadas da Verdade (True Blades, cavaleiros servos de Torm) depois dos eventos do tempo das perturbações que levou a morte de vários fieis e a destruição de Bane.

A despeito do histórico de uma longa linhagem de mercadores e comerciantes, Osfrid decidiu lutar ao lado dos Espadas da Verdade buscando a inspiração para um dia se tornar um sacerdote do templo de Torm, mas foi o chamado de Paladino que veio primeiro e com a benção do seu deus ele iniciou uma jornada (contra a vontade do pai, mas apoiado pela mãe voluntariosa) pela conquista da ordem e restauração do bem em terras assoladas por calamidades e o mal.

A despeito de sua vida de aventureiro, Osfrid busca em segredo duas conquistas pessoais que considera de suma importância:

Estabelecer um templo ou altar para Torm em cada cidade visitada que não tenha um altar dedicado á divindade usando o dinheiro que ganhar em suas aventuras para assim levar a fé de seu deus a todos os lugares.

Assim como os cavaleiros perfeitos das lendas de Tantras, buscar a cidade sagrada de Torm, conhecida como “Trono Elevado” ou “Chalsembyr”, onde uma vez, quando ainda mortal, ele serviu a um nobre rei humano. Os eruditos da Igreja de Torm acreditam que esse reino e sua capital, ficam próximos ao Sul do Lago do Vapor, numa região conhecida hoje como Reinos da Fronteira e Osfrid deseja ardentemente encontrá-la.

Assim como seu deus, Osfrid sabe que o caminho do verdadeiro cavaleiro não pode ser o caminho do “tolo ingênuo” e a humildade deve ser o escudo da moral, isso leva Osfrid a um dilema moral:

Onde começa o direito dos outros e termina sua senda por ordem e justiça?

Como ser fiel as tradições paladinescas sem se impor como um tirano?

Osfrid iniciou sua jornada buscando essas respostas também, testando os limites de sua tolerância e fé naqueles que cruzam seu caminho.

Osfrid of Torm

The Sundering mpedroso LucianoBastos